Blog da Jorlan GO

Conheça a história da GM no Brasil

O ano é 1925. O mundo ainda se recuperava dos abalos da Primeira Grande Guerra e a industrialização engatinhava nos países emergentes da América Latina. Foi nesse contexto que uma jovem empresa de apenas 17 anos desembarcou no Brasil para fazer história e se tornar uma referência.

Fundada em 1908, a General Motors foi uma das primeiras multinacionais a operar em território brasileiro. Hoje, a marca acumula uma trajetória de mais de 100 anos repleta de sucessos, carros icônicos e inovação.

Neste post, vamos contar um pouco mais sobre a história da GM no Brasil e como a empresa fez a Chevrolet se tornar um sinônimo de automóveis no país. Confira!

Os primeiros anos

Ao chegar no Brasil, a General Motors já era uma referência. Detentora de 12% do mercado automotivo dos Estados Unidos, a GM segmentou seus produtos em 5 marcas diferentes: Buick, Cadillac, Pontiac, Oldsmobile e Chevrolet, sendo que a última foi a responsável por “desbravar” o mercado latino.

A Companhia Geral de Motores (rebatizada de General Motors do Brasil – GMB) foi registrada em 26 de Janeiro de 1925 e iniciou suas operações em casas alugadas no bairro paulistano do Ipiranga. Em fevereiro daquele ano, é instalada a primeira linha de montagem. Em setembro, o primeiro Chevrolet produzido no Brasil ganha as ruas.

Dois anos depois do início de suas atividades, a GMB já comemorava a marca de 25 mil carros fabricados, e foi nesse momento que a empresa percebeu que sua estrutura estava ficando subdimensionada para o tamanho do seu sucesso.

Foi então que teve início a construção de uma fábrica em São Caetano do Sul, que iniciou suas operações em 1928. A cidade do ABC se tornou a sede da Companhia, algo mantido até os dias de hoje.

A Guerra e a expansão dos negócios

Durante a Segunda Guerra Mundial, a GM se viu envolvida na produção de material bélico e veículos militares. Naquela época, a empresa começava a expandir seus negócios, passando a fabricar molas, peças para automóveis, carrocerias metálicas para ônibus e até mesmo geladeiras.

A expansão garantiu bons resultados econômicos para a empresa, que resolveu dar mais um salto, criando sua fundição e fábrica de motores na cidade de São José dos Campos. Com capacidade para produzir 50 mil veículos por ano, a nova fábrica foi também a primeira a produzir os motores GM na América do Sul.

Surgem os clássicos e a necessidade de inovação

Alguns anos depois, já no final da década de 60 e início dos anos 70, a Chevrolet lançou alguns dos seus carros mais famosos.

O primeiro deles foi o Opala, o primeiro carro de passageiros totalmente feito no Brasil. Em seguida veio o Chevette, modelo que acumulou mais de 1 milhão de unidades vendidas! Além dos dois, a GM emplacou outros grandes carros no Brasil, como o Monza, a Veraneio e a Caravan.

 

Já nos anos 80 e 90, mais dois sucessos: o Kadett e o Ômega entram com tudo no mercado e abocanham prêmios e uma bela fatia do mercado brasileiro, que estava sedento por um hatch e um sedan com bom porta-malas e motor potente. A geração anos 90 da Chevrolet ainda contava com Vectra, Blazer, Corsa, Ipanema e as picapes S-10 e D-20.

A partir dos anos 2000, a Chevrolet passa a fortalecer seus negócios com base na internet. O lançamento do Celta é um belíssimo exemplo. Ele foi um dos primeiros carros a ser vendido por uma plataforma de e-commerce e se tornou o veículo mais vendido via rede.

São mais de 90 anos inovando na criação e refinando a qualidade de seus carros. Nessa trajetória secular, a GM se reinventou e modificou seus produtos para garantir aquilo que o motorista deseja ao entrar num carro: excelência, design e ótima relação entre custo e benefício.

O Brasil é parte da história da empresa e o desenvolvimento industrial de nosso país se mistura com a biografia da GMB: essa parceria tem tudo para durar mais um século! Gostou de saber mais sobre a história da GM no Brasil? Conte sua opinião pra gente aqui nos comentários!